HGH-USA.COM

Symbiotropin
Meditropin

 
Français

English

Español

Deutsche

Português
 

Página Principal         Termos e condições         Contato       Compra agora  ►►►       Symbiotropin         Meditropin


Jovem Novamente: História do hGH,
passado ao presente

" Não sou jovem o suficiente para saber tudo. "
 -Oscar Wilde          

CAPÍTULO 1

Em maio de 1989, Daniel Rudman segurou a primeira de 12 seringas até a luz. Sentado ao seu lado era um senhor de 73 anos de idade. "Você está preparado?" ele perguntou o paciente idoso. "Pronto como nunca estarei," ele respondeu. A seringa continha uma pequena quantidade de recombinante do hormônio do crescimento dissolvido em líquido transparente. O Rudman então injetou o hormônio no seu paciente. 

Dr. Daniel Rudman estava fazendo algo que nunca foi feito antes dentro dos limites de investigação médica: ele estava dando uma versão clonada, hoje conhecido como o hormônio do crescimento, para um homem perfeitamente saudável. Hormônio do crescimento é um hormônio secretado no cérebro pela glândula pituitária. Todos que nunca atingiu a altura normal tem ou tinha este hormônio. Os níveis do hormônio do crescimento diminui com a idade, e não é por coincidência que todas as coisas que vem com este hormônio também desaparece com ele, como a força, músculos, energia, ossos e dentes fortes, pele mais grossa e o desejo sexual - todo aquele otimismo da juventude - desapareceu. Mas o que aconteceria se as pessoas idosas foram dadas seu hormônio do crescimento de volta?

Quatro anos antes do Rudman começar sua experiência, uma coisa muito estranha aconteceu nos cinemas em todo Estados Unidos. Ao lado da multidão dos jovens, tinham pessoas de cabelo grisalhos e em cadeiras de rodas. Pessoas que não iam ao cinema por mais de 20 anos estavam esperando na fila para assistir um filme. O nome do filme era Cocoon, era a encarnação de Hollywood de um dos devaneios mais persistentes na história humana: E se uma pessoa idosa tornar-se jovem novamente?

Quatro anos depois, Daniel Rudman estava tomando os primeiros passos para responder esta pergunta por injetar 12 pessoas com hormônio do crescimento. Sorte dos pacientes que ele estava dependendo no Eli Lily para fornecer a fórmula e não nos aliens pods, como no filme Cocoon. Os dados preliminares estavam presentes tão rápido quanto no filme Cocoon; energia, vitalidade, resistência, desejo sexual, otimismo e felicidade, isso tudo recuperado no GH.

Dentro de 6 meses, Rudman tinha o dado final. Em um sentido estritamente científico, seus pacientes tornaram-se mais jovens. De dez a vinte anos de velhice foi tirado de seus rostos, relatado pelos seus arquivos de laboratório. A pele deles estava mais espessa, músculos maiores, a gordura localizado no estômago relacionada a idade tinha diminuído e os ossos na coluna foram restaurados. Os seus níveis do fator hormonal semelhante ao da insulina (IGF-1) estavam equivalente ao de um de 20 anos de idade. 

A primeira indicação que os humanos poderiam inverter o processo do envelhecimento foi publicado pelo New England Journal of Medicine em julho de 1980, estrelando o Dr. Rudman e seus 12 pacientes. Assim como Hollywood corre para imitar um sucesso no cinema, cientistas no mundo inteiro começaram a montar estudos clínicos que iriam confirmar os resultados do Rudman e revelar novas aplicações do hormônio do crescimento.


   Efeito do hormônio do crescimento humano
   na massa corporal, tecido adiposo (gordura),
   massa tecidual, espessura da pele e
   densidade óssea em homens saudáveis entre
   61-73 anos.

  

  Massa corporal .................................... +8.8%
  Densidade ossea (vértebra lombar) ....... +1.6%
  Massa do tecido adiposo ...................... -14.4%
  Espessura da pele de 4 sites ................. +7.1%
 

* Em vez de calcular GH, os cientistas dependem no IGF-1 que é
   provocado pelo GH e suscita a maioria dos benefícios
   relacionados com hormônio do crescimento. Os cálculos do
   IGF-1 são mais fáceis e mais preciso do que os cálculos do GH.

 

O que é hormônio do crescimento?

A descoberta e a designação do termo hormônio do crescimento foi derivado de suas visíveis manifestações. Médicos já sabiam que existia uma substância encontrada no cérebro responsável pelo crescimento. Mas não foi até 1912 que o cirurgião e pesquisador Harvey Cushing identificou esta substância elusiva e a denominou "o hormônio do crescimento".

Em 1956, o endocrinologista Maurice Raben finalmente isolou o hormônio do crescimento de cadáveres humano e primatas. Em 1958, ele avançou a pesquisa do hormônio do crescimento através da injetação desse hormônio em uma criança anã. Assim que a criança começou a crescer, o hormônio deu ênfase ao seu nome.

A glândula pituitária fabrica o hormônio do crescimento encontrado na base do cérebro, o GH é um de vários hormônios secretados pela esta glândula. A produção de GH é controlada pela suas células de  fabricação chamadas de somatotrofinas, enquanto sua liberação é controlada pelas mensagens químicas do hipotálamo. Estas distinções importantes entre o GH e outros hormônios presentes fazem parte das opções dos métodos de tratamento, os quais vamos esclarecer nos próximos capítulos. Estudos explicam os padrões de liberação do hormônio do crescimento humano pela calculação do GH a cada 5 minutos por um dia inteiro. Ele é liberado em quatro rompantes grandes, ou impulsos. Em homens e mulheres jovens há mais impulsos freqüentes do GH, representando  50% mais secreção por dia. Na maioria dos dias, a secreção do GH ocorre mais durante a noite nas ondas lentas do sono, e o restante é liberado em pequenos impulsos durante o dia que são determinados mais pelos padrões de exercício e da dieta. O GH pode ser liberado 12 vezes num período de 24 horas, mas depois dos 50 anos de idade a quantidade e a intensidade dos impulsos vão diminuindo. O GH diminui aproximadamente 14% a cada década da velhice até chegar no ponto em que uma pessoa idosa não libera hormônio do crescimento detectável.

O GH tem vários efeitos no corpo, e sua função é as vezes mais visível quando o hormônio não esta mais presente no corpo.

 

Deficiência do hormônio do crescimento

Crianças

Em crianças, os efeitos da deficiência do GH são facilmente identificáveis. As crianças que estão em falta do GH, têm baixa estatura, mãos, pés e crânio pequenos. Os dentes aparecem mais tarde do que o normal, a pele é bastante pálida deixando as veias mais visíveis. As unhas não crescem e a voz da criança fica aguda. Até as crianças pequenas ficam com a gordura localizada na área abdominal que é uma característica na deficiência do hormônio do crescimento em adultos. Além disso, seus ossos são porosos e sua massa tecidual é reduzida.

Pele

Em adultos com deficiência do hormônio do crescimento, a pele é fina e deficiente de colágeno. Rugas conhecidas como pé-de-galinha podem estar presente na deficiência do GH. Pessoas que teve a glândula pituitária removida têm relatado rugas pé-de-galinha. Enquanto que a ligação ainda não foi completamente provada, estudos têm mostrado que o tratamento com GH aumenta o soro pro - colágeno tipo III, um alicerce importante para a pele e o tecido conjuntivo. A diminuição na espessura da pele, conseqüente as rugas, são sinais de envelhecimento. O aumento na espessura da pele e uma pele mais suave são provas do tratamento com hormônio do crescimento.

Desidratação

A deficiência do GH também causa desidratação e diminuição na transpiração. Pessoas com deficiência do GH não toleram ambiente frio e têm dificuldade em se refrescar durante o exercício, em resumo, estas pessoas não conseguem regular sua temperatura corporal. A falta de hidratação muitas vezes fica evidente quando as estas pessoas vão tirar sangue, é quase impossível achar sua veia. Não é surpreendente que a desidratação relacionada com o hormônio do crescimento é associado com problemas nos rins. Adultos com a deficiência do GH têm filtração reduzida nos rins e o plasma renal reduzido. A desidratação relacionada com a idade, ou o "murchar" dos ossos e pele são grandemente causados pela deficiência do hormônio do crescimento.

Coração e exercício

A diminuição no volume sanguíneo devido a desidratação pode contribuir aos problemas cardíacos presenciados por adultos que são deficiente do hormônio do crescimento, mas existem outras formas no qual a deficiência do GH inibe a função cardíaca adequada. A atrofia dos músculos cardíacos é um fator importante. Estudos sugerem que o GH provoca um efeito anabólico nos músculos cardíacos. Isto não é surpreendente, dado seu efeito na massa muscular. Pessoas com deficiência do GH também têm um desempenho ativo bem reduzido. A sua captação de oxigênio é somente 70-80% do normal. Isto foi relatado que irá ser invertido dentro de três anos de terapia com injeção do GH.

Metabolismo

O metabolismo da glicose, proteína e da gordura é anormal na deficiência do GH em adultos. O metabolismo do açúcar acompanhado da resistência da insulina é um problema particularmente em adultos obesos com deficiência do GH. A terapia com GH tem um efeito na regulação da insulina e frequentemente tem resultados na normalização da glicose no sangue.

O metabolismo protéico adequando exige regulamento da insulina entre outros mecanismos que são grandemente melhorados com a terapia com hormônio do crescimento. Os benefícios do GH nesta área são evidentes com aumento da massa muscular devido a melhora na captação da proteína muscular.

Gorduras

Os lipídios são um grande problema para os adultos com deficiência do GH. O nível do colesterol total, colesterol LDL e da apolipoproteína-B são elevados. O colesterol bom, HDL, tem sido relatado anormal em alguns casos. A deficiência do GH pode causar o espessamento e endurecimento das artérias, e o aumento na formação de plaquetas. Estas mudanças físicas, juntamente com as alterações do perfil lipídeo no sangue, contribuem ao risco de doenças cardíacas nos adultos deficientes do GH. A aumento da gordura corporal, particularmente na área abdominal, também é comum naqueles com deficiência do GH.

Psicológico

Estudos feitos a longo prazo mostram que a deficiência do GH é consistentemente associada com extrema imparidade psicológica do bem estar da pessoa. Os pacientes nestes estudos tipicamente exibem sintomas semelhantes, incluindo falta de energia, otimismo e animo para a vida. Eles são frequentemente solitários, não possuem amizades, intimidade e nem satisfação profissional. Estas pessoas relatam dificuldade com a memória, concentração e motivação. Elas também são freqüentemente consideradas depressivas. Infelizmente muitas dessas pessoas, incluindo os idosos, são frequentemente tratados incorretamente com drogas antidepressivas.

Todos os sintomas causados pela deficiência do GH que foram descritas até agora, foram primeiramente encontrados na sua associação consistente dos baixos níveis do GH. Estas correlações foram então fundamentadas pela inversão destes sintomas com o uso da terapia com GH. No capítulo 2, vamos entrar em mais detalhes nos estudos que apóiam estas e outras áreas terapêuticas que a terapia com hormônio do crescimento podem oferecer.

 

CARACTERÍSTICAS DA DEFICIÊNCIA DO HORMÔNIO DE CRESCIMENTO

Tom Anabólico
Redução da massa corporal e/ou massa músculo-esquelético
Redução da força muscular e esquelética
Redução no desempenho do exercício
Elevação total da gordura corporal
Elevação da gordura abdominal e visceral

Efeitos lipídeos
Elevação do colesterol LDL
Redução do colesterol HDL
Elevação da apolipoproteína-B

Efeitos ósseos
Osteogenia (falta de osso)

Efeitos metabólicos
Resistência a insulina (em pessoas obesas)
Hipoglicemia
Possível taxa anormal metabólica de repouso
Redução da converção do T4 para T3

Síntese protéica
Pele fina e falta de colágeno
Redução no tamanho dos organs
Redução do crescimento das unhas e pêlos

Desidratação
Redução na filtração glomerular e fluxo do plasma renal
Redução na transpiração - incapacidade de regular temperatura
Redução no rendimento cardíaco (potencialmente)
Elevação na resistência vascular

Saúde mental
Redução de energia
Instabilidade emocional
Redução de memória e concentração
Depressão ILL
Falta de interação social
Falta de motivação
Redução do desejo sexual
 

________________________________________________________________________________________________________________
Adapted from Cuneo RC, Salomon F and PH Sönksen. The syndrome of growth hormone deficiency in adults. In Anders Juul and Jens O.L. Jorgensen, eds. Growth Hormone in Adults: Physiological and clinical aspects. New York: Cambridge University Press, 1996; 145-167.
________________________________________________________________________________________________________________

 

Fatores que influenciam GH

A obesidade diminui a secreção pulsátil do GH e pode também causar aceleração na desagregação do GH pelo corpo. Por outro lado, o sustento de exercício intenso aumenta a quantidade e números de impulsos do GH a ser secretado. Ênfase na palavra intenso, exercícios comuns não são o suficiente para obter este efeito.

O jejum aumenta a freqüência pulsátil e a quantidade de GH secretado. A alimentação acaba com a secreção do GH através da estimulação da insulina, que se opõe o GH. Ao longo prazo, uma dieta pobre pode interferir tremendamente com a liberação adequada do GH e a formação do IGF-1. A dieta correta irá contribuir para superação do excesso da insulina, a fim de promover a secreção do hormônio do crescimento. No capítulo 6 vamos entrar em mais detalhes sobre a rotina da dieta e exercícios que ajudará otimizar a liberação e resposta do GH.

A testosterona, estrogênio e outros hormônios realça a secreção do GH. O efeito sinérgico da substituição de uma variedade de hormônios deficientes não pode ser sobre declarado. Resultados nesta área são reforçados com a utilização das fórmulas adequadas desses hormônios que são reconhecidos pelo corpo. No capítulo 7, vamos oferecer mais orientações para a compreensão do papel que vários hormônios desempenham no gerenciamento do GH.

Os aminoácidos L-arginina e ornitina podem causar a liberação do GH, se for tomado em grande quantidade. Certas drogas também podem causar a liberação do GH, incluindo L-dopa e clonidina. Nos capítulos três e quatro você irá adquirir mais informações sobre a complexidade e função dos secretagogos do GH.

O fígado sintetiza os fatores de crescimento semelhante da insulina (IGF-1 e 2) como parte de um feedback que regula o GH. A relação entre o GH e o IGF-1 é extremamente complexa. Proteínas vinculadas e os receptores do GH estão envolvidos na explicação de como o GH afeta o corpo. O Africano pigmeus é um exemplo vivo da importância dos receptores GH. Um pensaria que ao dar GH à um pigmeus irá fazê-los crescer, mas isso não seria o caso. Os pigmeus têm bastante GH, mas eles faltam os sítio dos receptores nas suas células. Depois, você vai aprender como otimizar a formação do IGF e sensibilizar os sítios dos receptores GH e IGF-1 a fim de otimizar a resposta terapêutica do GH.

 

Tratamento nos tempos antigos

De 1958 até o tempo que foi finalmente sintetizado, o GH era enganamente extraído de cadáveres humanos e injetados em crianças e adultos com deficiência do GH. O calor era conhecido por destruir substância preciosas, por isso antigamente no tratamento com GH, o extrato não podia ser aquecido ao ponto de eliminar todos contaminantes. Consequentemente, alguns desses lotes de GH, que vieram de pessoas que portavam o catalisador para a versão humana da doença da "vaca louca", eram contaminados. A doença Creutzfeldt-Jakob (CJD) é um transtorno cerebral debilitante para qual não existe cura conhecida. DCJ pertence uma família de doenças que afligem ovelhas, vacas e seres humanos. O prião que causa esta doença não é bacteriana e nem viral, mas pena-se que é uma proteína normal que foi distorcida. O prião contaminado acabou sendo um problema quando o FDA proibiu a versão natural do GH e aprovou a versão sintetizada em 1985.

 

A chegada do GH sintético

Durante o inicio da década de 1980, dois fenômenos ocorreram que eventualmente conduziu a versão sintética do hormônio do crescimento humano; e então não foi mais retirada de cadáveres. Quando chegou a febre dos yuppies, a clonagem do DNA foi inventada. A clonagem permitiu os pesquisadores, pela primeira vez, à investigar as seqüências individuais do DNA que eram códigos para as proteínas. O descobrimento das técnicas da clonagem tem alimentado uma revolução científica que ainda está no seu inicio. A tecnologia "DNA recombinante" permite que o DNA seja separado em pequenos pedaços com "tesouras moleculares" e colocados dentro de bactérias. A bactéria então elimina uma cópia idêntica ao pedaço separado do DNA. Por causa da amplificação do DNA desta forma, torna-se possível estudar e compreender suas seqüências individuais. Foi desta forma que a seqüência de DNA com código para o GH foi descoberta. A insulina foi o primeiro produto deste método oferecido comercialmente, e o segundo foi o GH. A mesma companhia chamada Genentech que sintetizou estes dois produtos.

A grande escala da clonagem do hormônio do crescimento humano surgiu, em grande parte, devido as ações tomadas pelo congresso, que em 1983 foi escrita a lei do medicamento órfão (The Orphan Drug Act). Esta lei foi feita para incentivar as companhias de medicamentos à desenvolver e comercializar drogas para ajudar pessoas com doenças raras. Estas pessoas estavam na desvantagem porque as companhias de medicamentos não podiam justificar o grande gasto em desenvolver drogas para eles por ser um mercado limitado. A lei sustenta que o governo teria que fortemente subsidiar o desenvolvimento das drogas que afetaria 200,000 pessoas ou menos, e qualquer companhia de medicamentos que assumir esta tarefa teria um marcado monopólio por sete anos.

Genentech não perdeu tempo em aplicando para o status de "órfão" para desenvolver o GH. O mercado do "órfão" para o GH era de 7,000 de crianças com deficiência do GH. Estas crianças tinham o crescimento severamente inibidos, uma condição que os médicos se referem como nanismo hipopituitário. Até 1985, a protropina tinha sido aprovada pelo FDA (administração de alimentos e drogas) para o tratamento de nanismo hipopituitário. As vendas iniciais estavam estimadas para $4M. Uma pessoa poderia pensar: qual o motivo que o queridinho de biotecnologia de Wall Street iria atrás de um mercado de somente 7,000 crianças? O GH, como a insulina, tem de ser tomado todos os dias pro resto da vida. Com a monopólio fornecido pela lei do medicamento órfão, não teria competição no preço, portanto, a companhia com o monopólio sob GH poderia colocar seu preço.

No custo de $15,000 por ano por cada criança, a Genetech tinha decidido que o mercado seria de $4M para o GH, mas rapidamente virou um mercado de $150M. Até o terceiro trimestre do primeiro ano que a protropina estava no mercado, ele fez $23M. Em 1987, Adelle Haley, uma analista de financias do Smith Barney, declarou que a "baixa estatura é um mercado pequeno". De acordo com ela, as vendas da protropina não iria superar $23.8M. Mas ela estava errada, a protropina terminou o ano com $43.6M em vendas. No ano seguinte, as vendas estavam $86M e até 1989 as vendas foram até $122M. Em 1995, Genentech estava predizendo vendas globais de até $1B.

 

YUPPIES, Ações e o Governo

A Genentech teve um grande impulso nas vendas por um fenômeno social. Aproximadamente na mesma época que a Genentech explodiu no mercado com o hormônio do crescimento, a febre dos yuppies também explodiu nos Estados Unidos. O credo dos Yuppies Dom era toda  perfeição que o dinheiro podia comprar. Pessoas com crianças de baixa estaturas logo descobriram que a perfeição podia ser comprada por $15,000 por ano. A quantidade de crianças diagnosticadas com nanismo hipopituitário (a única condição para que o GH tinha sido aprovado) cresceu para 15,000 em 1989 do que era originalmente 7,000 em 1985. Até 1995, 30,000 crianças por ano foram diagnosticadas com esta condição. Vozes das companhias atribuiriam o aumento na melhora da capacidade de diagnosticar da parte dos pediatras. Tudo isso tornou-se incontrolável durante a década de 1980. Jeremy Rifkin, um grupo contra a biotecnologia, entrou com processo contra o instituto nacional da saúde (NIH) com intuito de parar as pesquisas com GH nas crianças com baixa estaturas. O FDA (administração de alimentos e drogas) então entrou com uma investigação na promoção da droga da Genentech.

O gigante farmacêutico, Eli Lily, também queria o GH. Eles clonaram o GH com sucesso alguns meses depois da Genentech, e deram o nome da sua versão de Humatrope. A Genentech achou que não teria problema em clonar o Humatrope. Mas teria um grande problema em colocá-lo no mercado.

Apesar da proteção "órfão" da Genentech, o FDA aprovou o Humatrope em 1987. A Genentech então processou o FDA. Em setembro de 1987, as suas primeiras reclamações foram negadas no tribunal. Portanto, isto não foi o fim do processo. Com tudo, cinco companhias foram atrás do GH e uns aos outros. Hoffmann-LaRoche e Lilly processaram a Genentech. A Genentech entrou com processo contra eles por direitos patentes. Lilly e Genentech se manteriam na disputa por 8 anos, até que a Lilly entrou em acordo e pagou a Genentech $145M ao longo de vários anos.

 

Seu enorme potencial

Mesmo quando a Genentech votlou ao mercado com a protropina, a companhia sabia que a droga poderia ser usada além do nanismo. Antes da Genentech produzir sua versão sintética, atletas conhecidos, principalmente das Olimpíadas, estavam injetando GH derivado dos cadáveres. Era amplamente acreditado pela comunidade atlética que o GH poderia aumentar a resistência e força. Este uso secreto do GH por atletas era problemático em duas maneiras: primeiro, sendo as doses farmacêuticas do GH usadas, e segundo, sendo a falta de conhecimento de seus efeitos ao longo prazo. Uma dose farmacêutica excede bem além do que o corpo é capaz de fornecer naturalmente. A dose farmacêutica é feita para agir como uma droga nos sistemas do corpo. Isto é bastante diferente do que as doses fisiológicas sendo injetadas nas crianças para fazer elas crescerem. Uma dose fisiológica meramente traz os níveis à normalidade. Ninguém, incluindo os atletas, sabiam dos efeitos colaterais das doses do GH em grande quantidades. Porque o hormônio natural era indetectável, o policiamento era impossível.

Publicamente, a Genentech admitiu que o GH poderia ser usado para melhorar a cicatrização, e talvez a osteoporose. Mas a literatura científica mantinha dicas que o mercado para o GH seria enorme. O hormônio do crescimento afeta vários sistemas do corpo, na verdade, ele atinge praticamente todos os tecidos. O seu efeito semelhante o da insulina, resultando na diminuição da glicose no sangue, tornou o GH bastante atrativo para pesquisas contra a diabetes. O GH era conhecido por ser "lipolítico" (queima de gordura). A partir da perspectiva da companhia de medicamentos, a capacidade do GH em diminuir a gordura e açúcar lhe deu um mercado extremamente potente e enorme.

Centenas de pesquisas depois, o GH tornou-se um dos hormônios mais estudados. O seu potencial contra o envelhecimento é tão fantástico que a instituição nacional do envelhecimento está conduzindo pesquisas gigantes e ao longo prazo. Não tem nada que sugere que o GH não vai fazer justa à sua reputação. Ao contrário de outros hormônios com potencial anti-envelhecimento, o GH tem sido extensivamente estudado em humanos. A literatura científica está repleta com novas pesquisas. O GH tem sido associado com a melhoria de doenças intratáveis do envelhecimento: doença de Parkinson, osteoporose, doenças cardíacas e diabetes. A boa notícia é que as pessoas não precisam ir ate Anterea para obtê-lo, está disponível aqui na terra!

_______________________________

Estou tão animada com a Symbiotropin. Eu já perdi 76 cm em 3 meses, eliminou toda celulite das minhas pernas e quadris extremamente rápido. A segunda coisa melhor é minha pele. Minha pele estava tão fina que descascava quase todos os dias... agora esta bem espessa novamente, tá com a mesma aparência e tato de quando era mais nova. Minhas manchas de velhice nas mãos também desapareceu... meus olhos melhoraram bastante que raramente uso óculos... minha massa e força muscular aumentou tremendamente. Minha memória melhorou muito também. Meu cabelo agora está mais cheio e cresce muito mais rápido....

-H.G. (Mulher, 57 anos)

 

_______________________________

Introdução                                                                                                                                               Capítulo 2


E-mail

HGH-USA.COM   Copyright © 2002-2016

Advanced Medical Knowledge and Techniques, Inc.