HGH-USA.COM

Symbiotropin
Meditropin

 
Français

English

Español

Deutsche

Português
 

Página Principal         Termos e condições         Contato       Compra agora  ►►►       Symbiotropin         Meditropin


Em busca do fator matusalém
Farmacologista James Jamieson

" Cada problema que eu resolvi se tornou uma regra, que serviu depois para resolver outros problemas . "
-Rene Descartes, " Discours de la Methode "         

CAPÍTULO 4

"A substância que tem ação de um hormônio, mas ainda não foi purificado e nem identificado como um composto químico distinto é chamado de fator."

Como já comentamos no primeiro capítulo, teve uma evolução no hGH da sua fonte original como um extrato do tecido glandular para sua existência hoje como um produto de síntese do DNA recombinante. Em paralelo à esta evolução, são inovações farmacêuticas que permitem a manipulação de micróbios para produzir proteínas terapêuticas e a descoberta de receptores, anteriormente não reconhecidos, que afetam a liberação do GH e a conversão do IGF-1. Muito antes destas descobertas, haviam plantas medicinais que agora podemos processar e germinar para serem promotores grandemente efetivos na secreção do hormônio do crescimento. A história do desenvolvimento da Symbiotropin, um composto secretagogo natural, é influenciado por todos estes aspectos da tecnologia farmacêutica e começa com meu trabalho no desenvolvimento de produtos hormonais sob prescrições nas décadas de 1960 e 1970.


A engenharia genética tem sido um catalisador para a descoberta de proteínas terapêuticas para substituir hormônios deficientes, em falta ou danificados.

Como um farmacêutico de terceira geração, minha família já tinha estabelecido uma reputação para produção de produtos hormonais efetivos de fontes glandular e outros. Então veio com nenhuma surpresa quando fui abordado por médicos e companhias farmacêuticas nos primeiros anos da década de 1970 para proporcionar-lhes com o hormônio gonadotrofina coriônica humana (HCG). Na época, o HCG estava sendo utilizado como tratamento para obesidade, mesmo não sendo aprovado para esta solicitação, tornou-se popular rapidamente devido sua capacidade de provocar perda de peso muito rapidamente. Da noite pro dia, pacientes estavam perdendo de 30 a mais libras por mês e sem nenhum efeito colateral, a notícia se espalhou e a procura pelo HCG estava ultrapassando o fornecimento.

Semelhante ao hormônio do crescimento, HCG não era conveniente usar porque tinha de ser injetado, portanto, o custo era alto e a submissão era limitada. Ninguém tinha contestado a distribuição do HCG como uma injeção porque era conhecida a ser discriminadas e  ineficaz quando administrada por via oral. Como uma pessoa que gosta de fazer o impossível, eu estabeleci o desafio de produzir a primeira forma efetiva do HCG em dose oral. Eu tinha que descobrir uma maneira de proteger e estabilizar esta molécula durante todo o percurso a partir da cápsula, através do trato digestivo, para a circulação sanguínea e finalmente para os receptores alvos. Depois de pesquisar o mecanismo de transporte do HCG, eu comecei a pesquisar com várias moléculas chaperonas que poderia servir na proteção contra o ácido clorídrico e outras influências destrutivas. Eu finalmente encontrei a substância certa para combinar com HCG e criei a primeira dosagem oral deste hormônio.


GH é uma molécula muito grande, que é instável,
cara e difícil de fabricar.

GH, ou hormônio somatotrópico (SH) é uma pequena molécula que contém 191 aminoácidos em uma só cadeia com o total peso molecular sendo 22,005.
Outros hormônios da pituitária posterior, como o hormônio anti-diurético (ADH), vasopressina e ocitocina, são polipeptídeos contendo nove aminoácidos.

Meu trabalho com HCG levou à descoberta de mais de 300 moléculas, que agora são referidas como moléculas chaperonas, que tenho utilizado para facilitar a remessa de hormônios e outros compostos sensíveis. A maioria dos produtores dos hormônios do crescimento usam a ligação das cadeias químicas laterais para transcender problemas de absorção, muitas vezes resultando em efeitos colaterais indesejados. Por outro lado, a utilização das moléculas chaperonas naturais permitem que os hormônios derivados das plantas e extrato do tecido podem ser absorvidos e utilizados no seu estado natural.

Eli Lilly está gastando $60 milhões
para pesquisa sobre tecnologia que já temos!

Moléculas chaperonas auxiliam na absorção do trato digestivo como também na sua distribuição para os receptores adequados. Por isso é necessário definir os receptores que são alvos dos ingredientes ativos. Todos os principais hormônios da pituitária posterior, menos o hormônio do crescimento, exercem seu efeito primário através da estimulação das glândulas. O GH exerce seu efeito em quase todos os tecidos do corpo. Isto representa um desafio significativo, além da estimulação do GH, para suscitar uma reposta para o GH e IGF-1 no nível tecidual. Com o processo de envelhecimento,  não só relatamos uma redução na produção do hormônio do crescimento como também a dessensibilização dos receptores. Um fator que afeta esta dessensibilização é o bloqueio destes sítios dos receptores pelas toxinas ambientais e outras substâncias. Estes receptores devem ser desbloqueados a fim de beneficiar plenamente da terapia com hormônio do crescimento. Este processo de desbloqueio acontece sob a influência das moléculas chaperonas polissacarídicas e específicos compostos vegetais, que eu descrevo como alimentos farmacêuticos.

O corpo frequentemente tem percursos alternativos de atividade hormonal que são responsivas às substâncias naturais a base de plantas, ou alimentos farmacêuticos - vários que são incorporados na Symbiotropin. Estes compostos naturais, que se encontram no caminho para se tornarem os medicamentos do século 21, auxilia o corpo na sua própria cicatrização apesar do mau tratamento de vários químicos que simulam os hormônios que agora fazem parte do nosso ambiente. Alimentos farmacêuticos ajudam deslocar esses químicos indesejáveis e limpar o caminho para substituição eficaz dos hormônios.  


Os efeitos farmacológicos de compostos derivados de plantas são bem documentados em pesquisas clínicas com humanos e animais. Alguns dos mecanismos de ação ainda estão sendo elucidados. Dois caminhos definitivos para as ações biológicas envolve a ligação à sítios dos receptores do hormônio ou às enzimas que metabolizam os hormônios; especificamente, a ligação à esteróides e enzimas prostaglandina desidrogenase. Semelhanças estruturais entre os vários compostos vegetais e seus homólogos que são produzidos pelo corpo aumenta esta afinidade.

Ao longo das décadas, tenho continuamente utilizado extratos glandulares porque fornecem hormônios terapêuticos em uma forma natural na qual o corpo pode reconhecer, responder, e metabolizar adequadamente. As glândulas não são usadas somente como uma fonte de hormônios, mas também como um suporte para tecidos semelhantes no nosso corpo. Pesquisas mostram que ao ingerir uma substância tecidual, irá atenuar respostas autoimune para tecidos  homólogos no corpo. Médicos europeus têm muitas aplicações para terapias glandulares, incluindo a estimulação imunológica com extrato do timo e a redução da inflamação com extrato pancreático. A ênfase em glandulares na medicina da Europa me levou a estudar e treinar nas áreas de criotecnologia, ultra filtrações, suspensão xenogénica celular e tecidos, yophilisates e outros métodos de preparação do tecido glandular. Meus estudos na Europa eventualmente me levaram até Hungria onde tive a honra de trabalhar com o cientista mais brilhante, Tibor Kopjas, M.D.Dr. Kopjas e eu ficamos profundamente envolvidos em estudar extratos pancreáticos pelo sua atividade anti-inflamatória e anti-tumor, e também pelo seu efeito sob a produção e modulação hormonal.

Meu trabalho na Europa resultou na apreciação pelo padrão de qualidade e técnicas envolvidas na terapia glandulares, que não é encontrada nos Estados Unidos. Produtos glandulares europeus são derivados de animais que são criados exclusivamente para este objetivo medicinal sob condições altamente reguladas, que são: FIT controle partejo, higiene, alimentação, reprodução e abater. Estes animais são reconhecidos pelo seu objetivo medicinal, por isso são criados em um ambiente controlado farmaceuticamente e cuidadosamente processados para fornecer resultados adequados.

A Symbiotropin incorpora a utilização dos peptídeos na glândula pituitária anterior que tem mostrado efeitos na liberação do GH. Através do processamento avançado, a atividade destes peptídeos é mantida no nível que excede a maioria das células vivas dos extratos da pituitária. Originalmente, o GNRH era o único libertador conhecido do hormônio do crescimento para qual os receptores pituitários foram identificados, era pensado que outros libertadores tinham efeitos indiretos na pituitária. Desde então, outros receptores peptídicos libertadores do GH, quais ainda permanecem sem nome, foram descobertos na pituitária - indicando que existem outros hormônios libertadores do GH que ainda não foram descobertos e nomeados. Alguns destes peptídeos ainda estão sob investigação através dos pesquisadores farmacêuticos, mas são geralmente injetados devido a sua tendência de proteínas frágeis serem quebradas no trato digestivo; Se eles soubessem sobre as moléculas chaperonas...


Secreção do hormônio do crescimento é controlada por dois peptídeos hipotalâmicos: hormônio libertador do hormônio do crescimento (GHRH), que estimula, e somatostatina que inibe. Atuais secretagogos, criados biologicamente, ignoram estes princípios básicos.

No trabalho com terapias hormonais, no início dos anos setenta, eu desenvolvi um produto sob prescrição chamado de Aphrodex que era utilizado para promover desejo sexual em homens. Produzimos um efeito mais benéfico por combinar testosterona com a erva yohimbe e a homeopática nux vomica, então a gente poderia usar qualquer ingrediente separado, por isso usamos uma dose menor de testosterona, que causa efeitos colaterais quando usado em excesso. Como um fornecedor de matérias-primas, eu estava sintetizando DHEA e outros hormônios derivados da batata doce selvagem, e fiquei intrigado com a semelhança da diosgenina nestas batatas com os vários hormônios adrenais. Mas depois de observar a sinergia poderosa do produto botânico ativo hormonalmente e o hormônio isolado no Aphrodex, eu estava inspirado a estudar e identificar centenas de compostos botânicos desconhecidos que suportam e simulam os próprios hormônios do corpo.

O estudo das plantas e as substâncias terapêuticas hormonais contidos dentro delas conduziu a um conhecimento mais claro dos receptores hormonais no corpo e as técnicas para superar os que tornaram-se bloqueados. Eu também observei a importância em processar estas plantas na forma que me permitiu a derivar uma quantidade padronizada de uma substância dada sem utilizar químicos e sem desnaturar as enzimas e outros componentes da planta. Enquanto eu estava descobrindo todos estes "novos" componentes ativos individuais, eu também descobri a importância em preservar a atividade de todos os componentes da planta. Esta tarefa não é sempre simples, na verdade, é preciso muito mais tempo e dinheiro do que os métodos utilizados hoje pela maioria dos processadores de ervas.

Cada planta tem suas próprias características que devem ser tomadas em consideração no processamento e na padronização de seus ingredientes ativos. A maioria dos fornecedores da matéria-prima de ervas padronizadas utilizam uma variedade de químicos, como cloreto de metilo, que desnatura alguns componentes da planta original e são deixados em quantidade significante no produto final. As pessoas que consumem estas ervas geralmente não têm idéia que também estão ingerindo vários químicos tóxicos. Isto não funciona para mim. Não só os processos naturais da concentração botânica, como fermentação, permitem a evasão de químicos, mas eles também preservam as enzimas ativas e permitem o potencial terapêutico total de toda a planta à ser realizado.

No desenvolvimento da Symbiotropin, eu fui levado para a floresta tropical onde eu tinha feito trabalho extensivo com botânicos no passado e tinha estabelecido contatos valiosos de negócios. Eu descobri que uma das principais companhias farmacêuticas estavam utilizando um produto botânico local no desenvolvimento de um secretagogo sob prescrição. Isso não é incomum como uma grande porção de medicamentos sob prescrição são derivados de fontes vegetarianas pela isolação de um ingrediente ativo, sua desnaturação com um químico a fim de fazê-lo patente, em seguida, realizar estudos clínicos extensos, e finalmente, representá-lo e mais 21 milhões de dólares para o FDA aprovar. Após análise, eu descobri que o ingrediente ativo desta planta é a L-dopa, um estimulador potente da liberação do GH. Eu tinha trabalhado extensivamente com a L-dopa no passado como um consultaste na sua distribuição. A L-dopa é utilizada como uma droga contra o envelhecimento e tratamento para a doença de Parkinson, é mau absorvida e precisa ser tomada em doses super-fisiológicas (milhares de vezes mais do que o corpo poderia produzir em um dia) para fornecer uma resposta. Em doses altas, a L-dopa pode produzir efeitos colaterais, mas em doses baixas ela pode estimular a liberação do GH, melhorar o desempenho mental e também os sintomas da doença de Parkinson. Como foi o caso em toda minha experiencia com outros botanicos, as substâncias auxiliares na fava, obteve um grande avanço na atividade e absorção da naturalmente L-dopa, de modo que tornaria um secretagogo altamente ativo em doses baixas e sem efeitos colaterais da prescrição L-dopa.

A eficácia da Symbiotropin em pacientes com doença de Parkinson ainda não foi estabelecido através de ensaios clínicos dupla-cegos. No entanto, tem havido relatos de uma rápida melhoria nos tremores e uma sensação geral de bem-estar. O hormônio do crescimento em si tem produzido melhoria na doença de Parkinson; com ação dupla da L-dopa e outros secretagogos na Symbiotropin, e ausência de efeitos colaterais, vale definitivamente uma tentativa dos médicos em observarem seu efeito em pacientes que sofrem desta doença devastadora.

Estudos conduzidos na eficácia de vários estimulantes dos aminoácidos na liberação do hormônio do crescimento têm produzidos resultados significantes. Um teste para o potencial secretores do GH é o teste de carga de arginina, mas uma quantidade muito grande é frequentemente usada intravenosa. Outros aminoácidos como a ornitina, lisina e glutamina têm produzidos resultados mistos. No desenvolvimento da Symbiotropin, eu tive que me perguntar, "Como que a resposta à estes aminoácidos variam em uma medida tão grande?"

Pois o resultado da pesquisa feito com a L-glutamina produziu a elevação mais significante no GH e administrou o aminoácido em uma solução de bebida carbonato. Como que a carburação fez tanta diferença na eficácia deste aminoácido na liberação do GH? Eu tinha testado a entrega efervescente com a L-dopa e outras substâncias no passado e achei uma grande eficaz na sua combinação com moléculas chaperonas. Com carbonatação, eu fui capaz de produzir uma rápida e eficiente entrega de componentes sensitivos. Neste caso, eu descobri que a entrega efervescente auxilia na entrega de todos aminoácidos da Symbiotropin para que uma resposta maior e mais consistente pode ser derivada com doses mais baixas.

Existem muitos receptores para estes aminoácidos, então levando-os até os corretos que estimulam a liberação do GH exige o uso de moléculas chaperonas. Além de proteger e entregar estes aminoácidos, algumas moléculas chaperonas têm efeito regulador na insulina.

A importância da insulina suprimida em provocar a liberação do GH não pode ser exagerada. O açúcar no sangue e a insulina inibem a liberação do hormônio do crescimento - isto é o princípio fundamental da eficácia da dieta adequada, jejum e exercício na estimulação do GH. Enquanto tiver consumindo açúcar e outros carboidratos na dieta, provocará a insulina e inibirá a liberação do GH. Encontra também outros açúcares referidas como sacarídeos farmacêuticos que não provocam a insulina e também não são metabolizadas como carboidratos. Na verdade, quando os sacarídeos corretos são usados eles fazem o oposto, eles ajudam regular a açúcar no sangue e a insulina. Alguns destes sacarídeos - como aqueles na Symbiotropin - têm um gosto doce que elimina a necessidade de adoçantes artificiais ou alto em carboidrato para dar sabor ao produto.

Não estou implicando que a insulina é algo ruim. Neste sistema altamente complexo, precisamos da insulina para promover benefícios do hormônio do crescimento. Estudos mostram que o GH não causa crescimento em animais que faltam o pâncreas e também falham se os carboidratos estão restritos a dieta. Estes estudos reforçam nosso conhecimento sobre a insulina como um catalisador necessário na resposta do GH e na demonstração que níveis altos do GH significam nada em termos dos resultados. Este é o motivo que tenho concentrado em secretagogos, moduladores do site de receptores, regulação da insulina e enzimas do fígado como melhoradores em vez de injeções de GH.


Como uma disponibilidade adequada de determinados açúcares complexos, que só funciona em conjunto com a insulina, é necessário para o GH ser eficaz
- é interessante notar que as injeções artificiais de GH diminuem significantemente os níveis de insulina - qual será os efeitos a longo prazo? 

Mediante análise das influências sobre o GH e o IGF-1, e ao analisar melhor sua interação complexa com outros hormônios que são controlados centralmente pela glândula pituitária, torna-se aparente que o fator matusalém é contido dentro do sistema pituitário. Há muitas maneiras em que interferimos com a função adequada desta glândula e outros órgãos endócrinos - incluindo uma dieta incorreta e exposição à toxinas ambientais que bloqueiam os receptores com seu efeito de mimetizar hormônio. Na mesma hora, temos as ferramentas para otimizar a influência dietética na função endócrina e para desbloquear receptores entupidos utilizando compostos naturais. Quando fornecemos os peptídeos adequados e outros compostos, demos um empurrão para iniciar a função pituitária, mas não podemos ignorar o mecanismo de feedback da pituitária que são afetados por outros hormônios e a sinergia que ocorre quando todos os hormônios são destinados. É um sistema muito complicado, mas como desenvolvemos uma plena compreensão do esquivo fator matusalém e seu papel na manutenção dos outros hormônios, talvez estamos criando a escolha de viver durante centenas de anos. 


UMA MENSAGEM AOS
MÉDICOS

Existem mais de 110.000 genes no corpo humano - um milhão de gene parcial têm sido identificado. Um novo paradigma da inovação farmacêutica está focando nos novos hormônios e genes microbiais para ampliar e acelerar a descoberta de pequenas drogas moleculares. Estes novos tipo de medicamentos incluem a terapia genética, terapia protéica, e terapias anti-senso. Esta descoberta do método de pequenas drogas moleculares analisa genes expressados apenas em tecidos-alvos ou doentes e está também catalisando a mudança atual interdição baseada na medicina e com a prevenção baseada em genes.

Com esta pesquisa, temos conseguido acesso à proteínas terapêuticas que substituem hormônios deficientes, em falta, ou danificados. Alguns destes peptídeos sintetizados estão atualmente sob investigação, como secretagogos do hormônio do crescimento, mas seus homólogos que ocorrem naturalmente estão contidos na Symbiotropin - um secretagogo do GH totalmente natural. Uma vez que identificamos o peptídeo certo para utilizar, os obstáculos mais difíceis em alcançar liberação do hormônio do crescimento consistente e significativa são absorção e a entrega para os sites de receptores adequados. Nossa equipe tem pesquisado e desenvolvido uma ordem de sistemas de entrega das moléculas chaperonas que abordam a absorção gástrica, transportam através da corrente sanguínea, e ligam aos receptores adequados.

Pesquisa sobre vários peptídeos secretagogos sintetizados tem produzido resultados limitados em termos da formação do IGF-1 e a melhora sintomática porque eles não abordam regulação da insulina, formação hepática do IGF-1, ou receptores do IGF-1. Os efeitos farmacológicos de compostos derivados de plantas são bem documentados em ambos os ensaios clínicos humanos e animais. Estes produtos de plantas possuem semelhanças estruturais aos hormônios produzidos endogenamente que reforçam sua afinidade aos receptores hormonais, esteróides e prostaglandinas desidrogenasse - tornando-os adjuntos eficaz à uma variedade de terapias com reposição de hormônio.

À medida que mais compreendemos o declínio da função endócrina em um paciente envelhecendo, reconhecemos os benefícios na reposição de uma ampla variedade de hormônios - onde baixas doses produz um efeito geral melhor. Central à resposta HRT está a administração do hormônio do crescimento, insulina e IGF-1. Estes hormônios potencializam a função do estrógeno, testosterona, progesterona, T3 e outros hormônios. Ao contrário desses outros hormônios que declinam com o avanço da idade, o hormônio do crescimento continua a ser produzido em quantidades significativas durante a velhice. O desafio em restabelecer os níveis juvenis do GH não é o aumento da produção ou a injeção do próprio hormônio, mas sim a sua liberação de seu estado seqüestrado. Agora sabemos como desbloquear as portas que mantêm a circulação do GH.

Estudos sobre injeções do GH demonstram repetidamente sua eficácia em reverter os sinais de envelhecimento por melhorar a composição do corpo, aumentar a densidade óssea, diminuir as rugas, restaurar os cabelos, melhorar o débito cardíaco, reduzir o colesterol e também a melhorar a visão e memória. Além disso, nossas observações clínicas com a Symbiotropin deram rápida e significativa melhora na diabetes, pressão arterial elevada - até em pacientes cujos sintomas não eram capazes de ser controlados com tratamentos padrão. A regulação da insulina e do IGF-1 é uma parte integral de administrar vários sinais e sintomas de envelhecimento. 
 

Como o FDA aprovou recentemente a terapia com hormônio do crescimento para adultos que são deficientes, que inclui a maioria das pessoas acima de 40 anos, estamos próximos a tratar do envelhecimento como uma doença. Na reposição de hormônios deficientes, cabe-nos a utilizar o método mais seguro e eficaz destes hormônios. Não estamos limitados a hormônios sintéticos que o corpo não reconhece e não metaboliza como o seu próprio, que estão associados aos efeitos colaterais graves. Existem formas naturais, seguras e efetivas de estrógeno, progesterona, testosterona, hormônio tireoidiano, DHEA e outros hormônios que são idênticos aos nossos próprios hormônios. Estes hormônios estão disponíveis em dosagens que maximiza a biodisponibilidade e mantêm a eficácia das doses fisiológicas. Se o nosso objetivo é repor hormônios que estão em falta, por que não podemos substituí-los naturalmente? O que poderia ser mais natural do que utilizar o hormônio do crescimento que continua a ser produzido pela nossa própria glândula pituitária?

                                                                                                                         -James Jamieson
 

"O centro de câncer (1-800-720-8933; cancernet.com) teve a primeira confirmação nos relatórios do Lissoni, concluídos na Itália, que afirmam a eficácia do tratamento do câncer com a combinação de interleucina-2 (IL-2) e melatonina, válido para várias formas de câncer em adultos. Acreditamos que a imunoterapia tem avançado ao grau de ser uma salvação, embora menos estudada, o alternativo à quimioterapia citotóxica convencional para muitos pacientes, incluindo aqueles com adenocarcinoma do cólon, câncer pancreático, câncer de mama ou originado no pulmão. Uma vez que os linfócitos natural killer (NK) atinge de duas a três vezes acima do nível normal, temos achado [Symbiotropin] muito útil para reduzir o mal-estar frequentemente associado com alto nível de células NK na corrente sanguínea. Temos casos em que a adição de [simmbiotropina] para terapia (IL-2) nos permitiu restaurar destinatários préviamente debilitados da combinação de quimioterapia e também permitiu o uso contínuo de (IL-2) e foi associado com diminuição contínua do câncer como evidência pelas gotas sucessivas na marcações sorológicas tais como as CEA ou BR27.29."

-R. Arnold Smith, Jr., M.D.
S. North Central Mississippi Regional Cancer Center

J.M., Mulher, 71 anos

Começou tomar Symbiotropin e dentro de uma semana perdeu 3 lbs. Continuou perder 3 lbs. por semana durante o primeiro ciclo. O paciente relatou aumento de energia, maior senso de bem-estar mental, um sono mais profundo e pacífico. A pele apresenta mais suave e diminuição de rugas. Manchas na pele devido envelhecimento também estão desaparecendo.

L C, Mulher, 48 anos

História de grave cardiomiopatia e hipertensão. Tratamento feito com outras terapias forneceu algumas melhoras, entretanto, a função cardiovascular continuou a deteriorar. Com Symbiotropin, a energia dela aumentou imediatamente. Falta de ar diminuiu drasticamente. Ela relatou aumento de energia e sensação de bem-estar. Diversos de seus medicamentos foram eliminados, incluindo o inibidor ACE, e ela continua a melhorar rapidamente.

B.N., Homem, 63 anos

Obeso e fumante com doença cardiovascular e aflição pulmonar. Ele foi tratado com terapia de quelação e houve pouca melhora. Dentro de quatro semanas com terapia de Symbiotropin, respiração foi significativamente melhorada. A diminuiu da falta de ar permite ele à exercitar mais. Sua pressão arterial diminuiu significativamente.

PC, Mulher, 46 anos

Fumante com histerectomia total realizado no início do seus 30 anos de idade com subseqüente terapia de reposição hormonal (HRT). A terapia de reposição hormonal não controlou seus afrontamentos, insônia e ansiedade. Com terapia de Symbiotropin, ela melhorou drasticamente nestes sintomas relacionados com a menopausa na medida em que ela diminuiu sua dosagem de estrógeno e progesterona enquanto manteve sem sintomas. Além disso, ela relatou melhora em outras áreas incluindo melhora de energia.

G.F., Mulher, 65 anos

Histórico de depressão e obesidade. Não obteve sucesso ao longo prazo com tratamentos anteriores. Depois de começar sua terapia com Symbiotropin, ela teve perda de peso de duas lbs por semana. Relatou aumento de energia e uma enorme melhora na perspectiva mental e ansiedade.

L.J., Homem, 55 anos

Antes de tomar Symbiotropin, este paciente estava acima do peso e relatado diminuição de energia e do desempenho sexual. Depois de começar Symbiotropin, ele relatou sono mais profundo à noite, que eliminou sua necessidade de dormir durante o dia. Ele melhorou vigor e é capaz de exercer de forma mais energética. Ele relatou melhora significante na sua potência sexual e perda de peso contínuo.

 

"Eu pesava 300 lbs. e dependente na insulina por quase cinco anos... Eu estava usando o total de 175 unidades de 70103 insulina todos os dias... meu médico acrescentou um pouco de glucophage... ao longo dos últimos dois meses eu tenho usado Symbiotropin 5 noites por semana e perdi 50 lbs e diminui a necessidade de insulina para somente 10 unidades por dia! Vou continuar usar [Symbiotropin]... eu estava usando glucophage antes e não estava ajudando. Agora eu sei o que está causando minha melhora. Obrigada!"

-D.J.

_______________________________

Agora tenho uma aparência saudável e sensação de bem-estar.

- L.M. (Homem, 75 anos)

Tenho tomado Symbiotropin durante os últimos meses... tenho muito mais energia agora, eu me sinto e aparento mais jovem, tenho menos dores... aprecio a grande diferença que fez na minha vida.

- R.B., Homem

Muito obrigado por sugerir Symbiotropin. Tenho usado o produto por 3 meses e nunca senti tão bem. O nível da minha energia aumentou muito, minhas manchas de envelhecimento desapareceram, me sinto ótimo...

R.S., Homem

_______________________________

 

Cápitulo 3                                                                                                                                                 Capítulo 5


E-mail

HGH-USA.COM   Copyright © 2002-2016

Advanced Medical Knowledge and Techniques, Inc.